Archive for the 'filosofia diária' Category

A Síndrome de Dorian Gray

Oscar_Wilde

Outro dia reparei que se eu parar e olhar as pessoas, naquela minha clássica ideia que a vida é um grande roteiro, parece que estou observando cenas do livro de Oscar Wilde: O Retrato de Dorian Gray.

O culto a imagem é extrema, ao ponto que as pessoas tratam envelhecer como uma doença! Coleguinhas, tá errado! Não, envelhecer não é doença. É algo absolutamente natural. Faz parte da vida desde a primeira mitose, naquele momento que o esperma do teu pai fecundou o óvulo da tua mãe e as células foram se dividindo, você já estava envelhecendo.

Aceitem! Aceitem o envelhecer faz parte. melhor envelhecer com DYGNIDADE que ficar se escondendo do que é uma ordem natural da vida. E de boa, bora aceitar a real beleza, valorize o que tu tem de melhor.

A síndrome de Dorian Gray, não se restringe apenas a luta contra contra o envelhecimento e a imagem perfeita. Também, está relacionado ao estilo de vida, a toda aquela necessidade que Dorian tinha de sentir um prazer egoísta, um prazer dele pra ele. Podem me chamar de louca, é o que observo. as relações humanas estão tão efêmeras que as pessoas se relacionam com outras por um prazer próprio, não por querer compartilhar experiências com a outra pessoa. Obvio, que não são todas. Porém a capacidade de deveras estar em uma relação de compartilhar tem sumido. Às vezes, sinto que estamos perdendo essa capacidade, o que me assusta horrores, me assusta que eu me torne assim.

Selfies, uma quantidade de imagem de pessoas “curtindo” como se não houvesse amanhã, processos incisivos, noites intermináveis, relação efêmeras… e ninguém nunca leu O Retrato de Dorian Gray até o fim. Diria que o fim, foi o fim de Dorian.

Momento Sole Cult
Estou lendo De Profundis, indicação de mamis, minha sensação que o “pirigueto” que Oscar Wilde se apaixonou era um Dorian Gray. O pior que o fim não foi ruim só para Dorian, Oscar Wilde também sofreu sendo preso. Ainda não terminei, depois conto…

Momento Sole eu-lírico:
É uma “filosofia de buteco” minha, sei. Talvez um discurso do meu lado conservador. Porém, a sensação de efêmero é algo que não curto. 

O que é ser N O R M A L?

8dd7b71a2f4fc4146705e143bbf53305

normal
nor.mal
adj m+f (lat normale) 1 Conforme à norma; regular. 2 Exemplar, modelar. 3Geom Perpendicular. 4 Geom Diz-se da linha perpendicular à tangente de uma curva. 5 Biol, Psicol, Social. Conforme a um tipo dado e, portanto, presente na generalidade dos casos. 6 Pedag ant Dizia-se da escola e do curso destinados a formar professores de ensino primário. sf Geom A linha normal.
(http://michaelis.uol.com.br/moderno/portugues/index.php?lingua=portugues-portugues&palavra=normal)

Depois de ler o significado, como deduzir, definir, ou exemplificar uma “Pessoa Normal”?

Não tenho nenhuma resposta. O que pra quem sempre busca uma explicação, questiona até porque 2 significa duas unidades de alguma coisa. É perturbador. E há algum tempo percebi que não sou a única. Porém, percebo que muitas pessoas vivem tranquilamente sem questionar o que é normal ou querer ser normal.

Sim! Eu várias vezes já falei: “Eu quero ser normal!” ou “Porque não consigo ser normal?” Assim como alguns amigos também, às vezes, tem esse questionamento. E muitos devem achar meio besta…

Ser normal pode ser muitas cosias, como pode não ser nada. Como regularizar um padrão normal dentro de um mundo que tem bilhões de pessoas. Eu não serei arrogante em dizer que as pessoas não entendem o anseio de quem sofre com crise de pânico, crise de ansiedade ou depressão em querer ser normal. Mas sei, que quem já sofreu destes males psiquicos do tempo desta sociedade contemporânea, sabe o que é a dor de se questionar: Porque não sou normal.

Sei que pra muitos sou diferente, mas dentro do meu contexto sou normal. Sei que muitas vezes não tenho comportamentos iguais a maioria das pessoas em certas situações. Ou seja, não há um padrão normal. Talvez nunca existiu. E alguém um dia quis normatizar o normal e acabamos acreditando. E quando máscara cai. Eis que ficamos perdidos…procurando ser normal. Só que todos são normais, tudo depende do contexto de cada indivíduo. Como todos são diferentes no ponto de vista de diversos indivíduos. E como querer estabelecer normalidade em meio de mais de um bilhão de indivíduos.

Eu padeço da ansiedade de ser normal. Há pouco tempo tô aprendendo a me valorizar dentro da minha normalidade, do meu contexto. Sei que essa ansiedade de quando se está numa das crises psiquicas que for que a pessoa tenha, é horrível, dói. Por isso vamos combinar uma coisa Universo: todos são normais só que não…

Momento TAMO JUNTO
Quando alguém falar: “quero ser normal,” apenas digam que todos somos…cada contexto tem um normal. 

LOS INTOCABLES (UNTHOUCHABLES) | The Right to Childhood Should be untouchable.

Los Intocables por Erik Ravelo, é uma camapanha que surgiu dentro da Fabrica e ganhou em 2014 o Epica Award (Silver) na categoria de Interesse Público. Porque a repercussão?

A sociedade crucifica a infância através de diversas atitudes e comportamento. Essa é a imagem. Erik criou a “crucificação da infância” através da sobreposição da imagem do adulto causador do mal (a pedofilia no interior das paredes religiosas, turismo sexual, a guerra civil na Síria, de circulação liberal de armas de fogo, tráfico de órgãos humanos, de obesidade e de poluição nuclear), e da criança que tem sua infância interrompida, truamatizada. Por isso, o nome Los Intocables, uma referência a aqueles que devem ser protegidos.

A campanha é apoiada pela Fundação UNHATE, o coração das atividades sociais do Grupo Benetton. Uma campanha que jamais vai deixar de ser atual, infelizmente.

Momento Designer | Eu-Lirico
Sonho de quando eu tinha uns 13 anos ou 14anos (não lembro direito), era estudar na Fabrica depois de terminar design. Mas quando terminei o dindin não deu e eu terminei “tarde”. Na época tinha uma exigência de idade máxima, não sei se ainda tem.

Filosofia XX de butequim: cães são a representação da busca do XY!

carolacifuentes_XXdogXY-02

“Vive como piensas, o terminaras pensando como vives”. Pepe Mujica, profissão ídolo.

cepal_2014_presidenta_michelle_bachelet_presidente_pepe_mujica_chile_uruguay_flickr

Obvio, que esse título ele vai odiara. Afinal Pepe Mujica não está procurando ser um ídolo, mas sim um ser humano que luta por uma igualdade. Uma igualdade que América Latina precisa lutar, uma igualdade que já vimos outros lutarem. Mas nunca como Pepe.

Um presidente eleito democraticamente na pequena República do Uruguai. Um homem simples, que se você colocar uma toquinha pontiaguda ele parece um gnomo (com todo respeito). Um presidente da República que abdicou de mil benefícios o que inclui a casa presidencial, na qual chegou abrigar sem tetos durante o inverno rigoroso de Montevideo. Usa o carrinho dele. Parte do salário é doado. E com uma mente política e social que há muito eu não via.

Sério! O Universo sabe o quanto eu queria o fim do mundo, porque a humanidade está tão escrota que eu não via outra solução. Nada melhor que um reset Universo!

Eis que surge Pepe Mujica, com um discurso político e humanizado. Um discurso que mostra a total rebeldia com a civilização. Sim! Isso mesmo, todas as questões que todos reivindicam tem uma raiz na civilização. Questões ecológicas não são meramente ecológicas são políticas. A Africa não é uma questão localizada, é de todos. Esse lance de ver o que é só seu e não enxergar o grande, o que não te faz esquecer de onde tu és. O fato de ver o mundo como um todo não vai anular jamais a América Latina, o seu país, a sua cidade ou seu bairro. Mas se o ser humano tiver a noção de que somos uma espécie e precisamos agir como tal, as coisas podem e devem mudar.

E que adianta um pensamento social se você acumula riqueza. Se você diz não ter dinheiro para alguém que tem fome? Que adianta um pensamento que não se vive.

Mujica foi aplaudido duas vezes durante sua estadia no Chile, para a posse da presidente Michelle Bachelet, uma em seu fantástico discurso na CEPAL e outra no Senado. É forte o que ele joga na cara de todos. E é intensa a paixão como ele fala e me dá esperança que a humanidade ainda consegue fazer algo do bom.

Momento Eu-Lírico
Cresci em uma família que para muitos é utópica, pois aprendi que todos somos iguais de fato. Homens e mulheres fazem tudo: cozinham, limpam, cuidam de crianças…se há necessidade de empregada, ela jamais é um pessoa invisível, ao contrário: ela é um membro da família, lembro que meus pais “obrigavam” elas a estudarem, até faziamos lição de casa todos juntos. Vivi e vivo em núcleo onde todos os amigos dos meus pais e boa parte dos parentes tem esse estilo de vida. Qual o problema? Nenhuma, de fato, seria divino que todos fossem assim. Só que todos os filhos desse núcleo tem um terrível problema de adaptação com a realidade…que é bem diferente.

Princesas, DYVAS… porque não?

“I am a princess. All girls are. Even if they live in tiny old attics.
Even if they dress in rags, even if they aren’t pretty, or smart,
or young. They’re still princesses. All of us.
Didn’t your father ever tell you that? Didn’t he?”

Ontem na farmácia vi uma princesa que já foi logo fazendo amizade comigo, ela tinha uns 4 anos. Sim tenho uma facilidade incrível com os mini humanos. Depois falando com uma amiga, ela me contava sobre como a Disney vem mudando a abordagem com as princesas, nos dois últimos filmes as princesas não casam com o “príncipe encantando”. E já faz alguns dias que no twitter, algumas pessoas do Chile, postam coisas de como as pessoas consideram a aparência, como algumas pessoas, digamos mulheres, são influenciadas na sua formação por princesas de contos. Juntei as duas coisas: aparência e princesas e fiquei me questionando, naquela clássica filosofia soleil que faz parte de mim.

Qual o problema de acreditar em princesas? Porque princesas tem padrão? Qual é a piração com o aspecto físico? Porque essa cobrança de consumir beleza? Ser uma mulher de sucesso é ser linda ao estilo princesa Disney? O consumo te faz bela? Faz mal para uma menina acreditar em princesas?

Foi então que na minha mente apareceu a pequena Sara Crewe, do livro (que virou filme) The Little Princess. Para muitas mulheres pode parecer idiota, afinal é uma literatura infanto juvenil. Sara cresceu com um pai que dizia para ela: Você é uma princesa. Todas as meninas são princesas. Dentro de toda a história, um drama com viés de fantasia, Sara fala para a diretora que todas são princesas, independente de riqueza ou beleza ou inteligência ou juventude, todas as meninas são princesas.

Este é o problema hoje. Todos dizem que os dias atuais são mais livres. M E N T I R A! O que mais vejo são mulheres buscando padrões de beleza. Colocando silicone, esticando o corpo, virando praticamente mutantes de tanta intervenção no corpo. Isso sem contar o desespero de emagrecer ou ganhar massa. Sim! As duas coisas acontecem! Mães que fazem das filhas mini modelos, exacerbando a vaidade em crianças. Por outro lado, está o oposto: mulheres que abominam qualquer vaidade, que criam suas filhas em tamanha realidade que castram as crianças das fantasias das princesas, afinal o mundo é cruel e incentivar uma imaginação pode deixar a filha menos feminista.

De boa, qualquer extremo é péssimo. Por isso, a Sara apareceu na minha mente hoje. Porque não ser princesa ou DYVA? Todas são! Ser princesa não é ser perfeita, nem esperar um príncipe encantando. Acreditar numa fantasia, só leva as pessoas terem um momento leve na vida, nas crianças é importante para a imaginação. E porque não ser como o pai da Sara? Mostrar que todas são princesas, dentro das qualidade e defeitos de cada uma. Sem julgar.

Momento Eu-Lírico
Sempre tive problemas com o lance princesas, afinal todas eram loiras. Mas ai tem a Branca de Neve, mas ela é chata. Até que surgiu a Bela, que não fica esperando príncipe, vive a vida dela, mas erra no lance de mudar alguém. Ok! no caso dela deu certo. (ainda tenho o pensamento House: People don’t change). Mulan é uma princesa interessante, afinal ela vai a luta! Mas a Melinda, ganha de todas, afinal é ruiva, não tá nem ai em casar porque deve, curte fazer suas coisas sem se preocupar com o que irão pensar. Acho que por isso algumas pessoas não gostaram de The Brave. XP

Viva a diferença! Viva la diferencia!

diferentes


¡Filosofia Soleil!

Just Looking

#fridakahlo #ilustracion #illustration #ilustracao Ya viene ella... #ilustracion #ilustracao #illustration #rabisco #rough #boceto #fridakahlo Depois de 7 anos de terapia, encontrei minha mulher. Meu corpo. Meu universo. Agora eu abraço, amo, sinto, cheiro, choro e rio esta mulher que por tanto tempo escondi. Escondi por medo. Medo de existir, de ser vista e desejada. O que acontece com milhares de vítimas de abuso/assédio sexual. Sou uma vítima entra tantas, infelizmente. Com muita coragem e apoio dos meus pais, irmãos e amigos consegui existir sem medo. Hoje minha mulher tá aqui divertida, inteligente, sensível, guerreira, musical e lúdica. 🙎🏻✊️💜 #ilustracao #illustration #ilustracion #woman #mulher #mujer #fuerza #niunamenos #nosqueremosvivas #vivasnosqueremos❤ Rabiscos aventureiros em branco... #ilustracao #illustration #ilustracion #boceto #rough #rascunho #rabisco Rabisco... #ilustration #ilustracion #illustration #ilustracao  #rabisco #rough #boceto Dibujos... y el que el Teo me hizo! #ilustracion #illustration #ilustracao #dibujos #desenho #draw De boa na lagoa. #ilustracion #ilustracao #illustration #rana #sapo#frog #music #musica Sapo de boas... #ilustracao #illustration #ilustracion #rough #rabisco #rascunho #boceto #frog #sapo #rana Little Audrey dreaming... #ilustracion #illustration #ilustracao #audreyhepburn #breakfastattiffanys

Twito Logo existo